Quinta, 28 de Outubro de 2021 09:38
99 99999-9999
Geral Mato Grosso

Agricultora muda sua realidade com produção de hortifrutigranjeiro após assistência técnica da Empaer

Atualmente, sua produção é fornecida para uma rede de supermercado e a Cooperativa dos Produtores de Paranaíta

14/10/2021 17h50
7
Por: Redação Fonte: Secom Mato Grosso
Ideia é produzir e aperfeiçoar espaço com variedade de culturas - Foto por: Empaer
Ideia é produzir e aperfeiçoar espaço com variedade de culturas - Foto por: Empaer

Com uma área de 3.025 metros quadrados e assistência técnica da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), a produtora rural Nelsa Souza da Costa, 60 anos, vive uma nova realidade e com boas expectativas. Depois de cinco meses sendo assistida por um técnico agropecuário, hoje ela produz alface americana e crespa, pimentão, abacaxi, pepino, quiabo, moranguinho, beterraba,  almeirão, rúcula, couve, cebolinha, tomatinho, mandioca, abóbora e batata doce, além de uma pequena criação de porcos e galinhas.

Nelza viveu de favores por três anos, sua renda era das diárias do marido. No segundo semestre de 2020, ela e 29 famílias foram contemplados com a doação de chácaras localizadas no setor Castanheira pela Prefeitura de Paranaíta.  

Uma nova realidade começava surgir para a futura agricultora, porém, não tinha prática nem conhecimento. “Só tinha a boa vontade. Depois de buscar ajuda, soube que a Empaer realizava esse trabalho e, assim que busquei, fui atendida. Desde então, só tenho colhido alegria”, destaca.

Atualmente, sua produção de hortifrutigranjeiro é fornecida para uma rede de supermercado e a Cooperativa dos Produtores de Paranaíta (Coopervila). Ainda com a orientação técnica, foi montado uma proposta para a participação do pregão junto à agricultura familiar do município, por meio de chamamento público. Dona Nelza venceu e o valor para fornecer produtos hortifrutigranjeiro no valor de R$ 19.983,50 até 30 de dezembro deste ano.

 “Ver minha horta crescendo e tirando dela meu sustento não tem nada que pague essa sensação. Vivi por anos sem um teto. Hoje tenho casa, uma terra que planto e o que estou colhendo, pago minhas contas. Este mês paguei as despesas e, de renda, sobrou um dinheirinho que vou investir em melhorias”.

O técnico agropecuário Eder José Barreiros, explica a importância do aproveitamento dos espaços e saber e o que se produzir. “Dona Nelza soube definir bem o seu espaço. Nossa orientação apenas definiu o tipo de cultura e o limite entre elas, com foco na produção para gerar renda”.

Eder destaca que o objetivo é ampliar o atendimento para os outros moradores que tiveram a mesma sorte de dona Nelza e foram  contemplados com um pedaço de terra. “Estamos à disposição para orientar no que for possível. Precisamos fomentar a agricultar familiar e estimular os pequenos agricultores a produzir e fazer a moeda circular na comunidade. Todos ganham no final”.

Dona Nelza orgulhosa e feliz com sua nova vida no campo                                        Foto: Empaer 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.