Quinta, 02 de Dezembro de 2021 11:57
99 99999-9999
Sorriso Saúde

UTI da UPA de Sorriso termina mês de julho sem nenhuma morte

Em julho, Sorriso registrou 22 internações e 18 altas

06/08/2021 15h03
23
Por: Redação Fonte: Prefeitura de Sorriso
Foto: Reprodução.
Foto: Reprodução.

Julho fechou com 18 ótimos motivos para sorrir. Isso porque 18 pacientes internados na Unidade de Tratamento da Ala Covid-19 da UPA Sara Akemi Ichicava receberam alta e retornaram para casa. Durante os 31 dias de julho, 22 sorrisenses deram entrada na Ala Covid-19. Durante o último mês, os seis leitos da unidade registraram 96% de ocupação com média diária de 8 dias de internação/paciente. Hoje (06/08), seis pacientes estão internados sob os cuidados intensivos da equipe.

O dado mais comemorado pela equipe e familiares de internados demonstra que nenhum óbito foi registrado na Ala Covid-19 da UPA de Sorriso no período. De acordo com os dados de Aplicabilidade do Escore Fisiológico Agudo Simplificado (SAPS 3), a taxa de mortalidade observada no país é de 17,36%.

 

O cuidado intensivo e padronizado tem possibilitado também outros números positivos, como a redução do tempo de intubação dos pacientes atendidos. No país, a média é de 14 dias de intubação para pacientes que necessitam de ventilação mecânica invasiva. Nos números apresentados no relatório, é possível identificar que na Ala Covid-19 da UPA, o tempo médio em julho foi de 5,14 dias para 20% de internados que necessitaram de ventilação mecânica. Dentre os 22 pacientes internados, 14 eram homens e 8 mulheres. 

 

Para o gestor da pasta de Saúde e Saneamento, Luís Fábio Marchioro, os números são o resultado do empenho diário da equipe e da confiança das famílias que tiveram parentes internados. “São seis leitos que contam com equipes médica e de enfermagem especializadas no cuidado intensivo. Temos fisioterapeuta que atua diretamente com fisioterapia pulmonar; cardápio individualizado elaborado pela equipe da nutrição, que junto com a equipe médica observa a necessidade de cada paciente”, pontua.

 

Hoje 30 profissionais atuam diretamente na Ala Covid-19 da UPA. Além da equipe que busca tornar o atendimento o mais humanizado possível, a Ala dispõe de serviço de hemodiálise com equipamentos e nefrologista contratados; medicamentos de alta qualidade; 14 aparelhos respiradores e demais equipamentos de última geração, todos novos.

 

Marchioro relata que as altas só foram possíveis devido ao acompanhamento precoce dos pacientes. “São pacientes que haviam passado pelo atendimento na própria UPA ou no Hospital Municipal de Campanha, então dentro da Ala Covid-19 nos foi possível dar continuidade e reforçar o que vinha sendo feito. Eles procuraram auxílio nos primeiros sintomas, o que foi fundamental também para a recuperação”, ressalta.

 

Conforme o secretário buscar auxílio nos primeiros sintomas é fundamental no processo de estabilização e cura. “Muitas pessoas deixam para ir mais tarde, usam medicação que muitas vezes não é aconselhável em casa; por isso ressaltamos aos pacientes: sentiu sintomas, procure ajuda especializada”, destaca.

 

Além dos seis leitos de terapia intensiva instalados na UPA, o Município conta também com o Hospital Municipal de Campanha que além de ofertar atendimento 24 horas, disponibiliza hoje 20 Cápsulas Vanessa, nove respiradores Bipap, 16 leitos de enfermaria com suporte ventilatório pulmonar e cinco ambulâncias com equipamentos e equipe especializada para o transporte de pacientes positivos. Para atender os dois locais foi montado um reservatório de oxigênio com capacidade para 35 mil litros.

 

Tanto a Ala Covid-19 da UPA Sara Akemi Ichicava quanto toda a estrutura do Hospital Municipal de Campanha e também as equipes são bancadas com recursos próprios do Município. “Desde o princípio o prefeito entendeu a importância de ouvir a equipe da saúde e nos deu o aval para ofertarmos as melhores condições de tratamento para a população”, diz o secretário.

 

É válido lembrar também que até não atingir níveis altos de imunização da população, as medidas preventivas e não farmacológicas como manter distanciamento social, evitar aglomerações, usar máscara e higienizar constantemente as mãos, continuam sendo necessárias. “E se você ou alguém de sua família apresentar sintomas, nos procure. Tanto no Hospital Municipal de Campanha quanto na UPA estamos prontos para atender”, finaliza o gestor.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.